Escolha o Idioma:        

Papers

Varzeiros, geleiros e o manejo dos recursos naturais na várzea do Baixo Amazonas (004)
Autor(es): David Gibbs McGrath, Célia Futema, Juliana Calabria, Benedito do Amaral, Fabio de Castro
Ano: 1991
Resumo: A ocupação da várzea tem sido baseada numa estratégia de uso múltiplo envolvendo a agricultura, a pesca, o extrativismo de produtos florestais e a pecuária de pequena escala. Ao longo dos séculos os habitantes da várzea, chamados de ribeirinhos, têm variado a ênfase de suas estratégias de sobrevivência em resposta a mudanças nas oportunidades apresentadas na economia regional. A exploração de uma série de recursos diferentes, um após outro, tem sido a principal atividade na economia da várzea, provendo aos ribeirinhos uma existência estável e às vezes relativamente próspera (Ross 1978, Parker 1985). Atualmente, entretanto, a base da ocupação ribeirinha está seriamente ameaçada. As duas principais causas são o declínio das atividades extrativistas tradicionais e o virtual colapso da agricultura de várzea. Tais fatores estão deixando os ribeirinhos, também chamados de varzeiros, cada vez mais dependentes da pesca para obtenção de sua renda e para suprir suas necessidades básicas de subsistência (Furtado 1988). Ao mesmo tempo, a crescente demanda de peixe fresco para consumo urbano e para exportação, juntamente com as melhorias na tecnologia de pesca, tem levado a uma intensificação da pesca comercial, resultando numa pressão sobre os recursos pesqueiros da Amazônia sem precedentes (Furtado 1981, 1990; Goulding 1979, 1983; Smith 1985). O objetivo deste trabalho é primeiro explorar as causas e conseqüências do declínio da economia varzeira tradicional e do aumento da indústria de pesca comercial, e avaliar o potencial das reservas de lago como um veículo para o manejo sustentável dos recursos da várzea.
Palavras-chave: Varzeiros. Várzea. Recursos Naturais. Baixo Amazonas.
Abstract:

A ocupação da várzea tem sido baseada numa estratégia de uso múltiplo envolvendo a agricultura, a pesca, o extrativismo de produtos florestais e a pecuária de pequena escala. Ao longo dos séculos, os habitantes da várzea, chamados de ribeirinhos, têm variado a ênfase de suas estratégias de sobrevivência em resposta a mudanças nas oportunidades apresentadas na economia regional. A exploração de uma série de recursos diferentes, um após outro, tem sido a principal atividade na economia da várzea, provendo aos ribeirinhos uma existência estável, e às vezes relativamente próspera (Ross 1978, Parker 1985). Atualmente, entretanto, a base da ocupação ribeirinha está seriamente ameaçada. As duas principais causas são o declínio das atividades extrativistas tradicionais e o virtual colapso da agricultura de várzea. Tais fatores estão deixando os ribeirinhos, também chamados de varzeiros, cada vez mais dependentes da pesca para obtenção de sua renda e para suprir suas necessidades básicas de subsistência (Furtado 1988). Ao mesmo tempo, a crescente demanda de peixe fresco para consumo urbano e para exportação, juntamente com as melhorias na tecnologia de pesca, tem levado a uma intensificação da pesca comercial, resultando numa pressão sobre os recursos pesqueiros da Amazônia sem precedentes (Furtado 1981, 1990; Goulding 1979, 1983; Smith 1985). O objetivo deste trabalho é primeiro explorar as causas e conseqüências do declínio da economia varzeira tradicional e do aumento da indústria de pesca comercial, e avaliar o potencial das reservas de lago como um veículo para o manejo sustentável dos recursos da várzea.

[ fazer download ]
Endereço: Av. Perimetral, Número 1 - Guamá, Belém - PA, Brasil Código Postal: 66075-750 55(91) 3201-7231