Escolha o Idioma:        

Artigo discute o processo migratório japonês

Migração japonesa em análise

Artigo publicado no Papers do Naea analisa o processo migratório dos japoneses numa perspectiva direcionada para o lugar de origem. Resgatou-se as causas que levaram os japoneses a retardar a emigração ultramarina na época das “grandes migrações”, do fim do século XIX e início do século XX, a partir do contexto histórico e político do Japão na Era dos Tokugawa (1603 a 1868) até as emigrações pós-Segunda Guerra Mundial. Do ponto de vista metodológica, o estudo utiliza a pesquisa qualitativa de cunho interpretativo de um levantamento realizado pela Comissão de Recenseamento da Colônia Japonesa que registra o número de imigrantes japoneses residentes no Brasil chegados entre 1908 e 1962. Constatou-se que, dentre as regiões do Japão, o maior contingente veio de Kyushu (região sul). Da região de Kanto (Tokyo e as províncias ao redor - parte mais densamente povoada do Japão) saiu apenas um pequeno contingente, o que indica que a densidade demográfica por si só, não foi o fator determinante para a mobilidade dos japoneses. A maioria dos imigrantes veio das regiões pobres do Japão, predominantemente de economia agrícola e de pesca. Ademais, na análise foi justificado o porquê da vinda de agricultores em sua maioria e as principais condicionantes que favoreceram a permanência desses imigrantes, entre as quais, os valores culturais foram fundamentais para a fixação desse povo em solo brasileiro. 

Leia mais: http://www.naea.ufpa.br/naea/novosite/paper/425

Foto: Museu da Imigração Japonesa

Endereço: Av. Perimetral, Número 1 - Guamá, Belém - PA, Brasil Código Postal: 66075-750 55(91) 3201-7231