Escolha o Idioma:        

DADESA debate o geoprocessamento na Amazônia

Grupo de pesquisa discute geoprocessamento na Amazônia


Nesta sexta-feira, 29, será realizada a segunda edição do Seminário de Integração: Amazônia, Desenvolvimento e Território com o tema “Qualificação Territorial utilizando Estatísticas e Geoprocessamento: Possibilidades para a Análise Econômica”, às 15h, no auditório professor Armando Mendes, no Núcleo de Altos Estudos Amazônicos (NAEA). A mesa-redonda será formada pelo professor doutor Francisco de Assis Costa, pesquisador do NAEA; pesquisador doutor Nicola Tancredi, do Sistema de Proteção da Amazônia (SIPAM) e o pesquisador Aluizio Solyno, do Projeto Piloto Sistemas Geográficos de Informações Fundiárias do Nordeste Paraense ligado ao grupo de pesquisa Dinâmica Agrária e Desenvolvimento Sustentável na Amazônia (GP Dadesa).

Os objetivos do Seminário são discutir as técnicas de monitoramento da Amazônia, os resultados e as possibilidades de novos métodos para avaliar a região. A dinâmica da economia rural na Amazônia tem sido observada por meio do fenômeno do desmatamento e avaliada basicamente pelos riscos ambientais e pelas desigualdades distributivas a ela associadas, simplificando a realidade socioeconômica ambiental.

O uso de recursos oriundos apenas do sensoriamento remoto parece formar uma metodologia bastante eficaz, pois imagens de satélites aliadas a técnicas de geoprocessamento possibilitam monitorar bem o desflorestamento como a quantificação e cálculo do seu incremento anual. Entretanto, possuem aplicação limitada para monitorar o uso posterior da terra, apesar das diferenças de reflectância observadas pelo sensoriamento remoto permitirem também a discriminação e mapeamento de classes como: agropecuária, capoeiras (diferentes idades) e floresta, dificilmente indo muito além disso, caso não existam trabalhos de campo e/ou integração com outras fontes de dados, visto que "agropecuária" pode significar culturas temporárias ou pastagens, por exemplo.

Entretanto, a região amazônica é bastante dinâmica, caracterizada pela presença de grandes paradigmas tecnológicos em concorrência e conflito, estruturados em movimento, que configuram trajetórias materializadas, e aproveitando o potencial que as ferramentas de geotecnologias apresentam, análises integradas se fazem necessárias para melhor entendimento da realidade socioeconômica ambiental amazônica.

O desenvolvimento de um algoritmo de otimização probabilística possibilita associar dados de diferentes fontes (classificação via sensoriamento remoto e dados de produção, por exemplo), transformando mapas de pixels em mapas de realidade pela transferência de significados por estatísticas para os pixels de um mapa.

Os produtos resultantes da aplicação de metodologias desta natureza se sobressairão em relação aos outros, visto que a entropia da informação total que produzem em relação à realidade são superiores, transformando um mapa de pixels em mapa de realidade.

O evento é uma realização do grupo de pesquisa “Dinâmica Agrária e Desenvolvimento Sustentável na Amazônia”, coordenado pelo professor doutor Francisco Costa, do NAEA com o apoio do Programa de Pós-Graduação em Economia (PPGE), da Universidade Federal do Pará com o Programa de Pós-Graduação do NAEA.

As inscrições são gratuitas e podem ser feitas neste link: http://migre.me/q0rF0. Os “Seminários de Integração: Amazônia, Desenvolvimento e Território” acontecem na última sexta-feira de cada mês com o objetivo de abordar temáticas diferenciadas, porém com o enfoque principal na Amazônia.

 

Serviço:

Seminários de Integração: Amazônia, Desenvolvimento e Território:

Mesa-redonda “Qualificação Territorial utilizando Estatísticas e Geoprocessamento: Possibilidades para a Análise Econômica”

Data: 29 de maio de 2015, às 15h

Local: auditório professor Armando Mendes

Inscrições: http://migre.me/q0rF0.

Endereço: Av. Perimetral, Número 1 - Guamá, Belém - PA, Brasil Código Postal: 66075-750 55(91) 3201-7231