Escolha o Idioma:        

Conferência de Abertura

Conferência dá início a Simpósio Internacional Naea 40 anos

Teve início na noite desta quarta-feira, dia 06, no Hotel Sagres em Belém, “Simpósio internacional Naea 40 anos”, evento que celebra quatro décadas do Núcleo de Altos Estudos Amazônicos – Naea da Universidade Federal do Pará. A programação teve início com breves considerações do Diretor do Naea, Prof. Dr. Fábio Carlos da Silva.

“Este é um momento muito importante para todos nós por que o Naea chega aos seus 40 anos tendo uma grande contribuição em nível de ensino e pesquisa para a região. Temos hoje aqui, por exemplo, ex-alunos que atuam em outros estados, difundindo o conhecimento. Temos agora que pensar no futuro da instituição com a expansão de atuação para extensão e graduação”, disse o Professor Fábio Carlos da Silva.

Em seguida foi dada a palavra ao reitor da Universidade Federal do Pará, professor doutor Carlos Manesky, que na ocasião destacou a importância do Naea e o pioneirismo do Núcleo na pós-graduação dentro da Universidade. “Devemos sempre lembrar a grande importância que tem o Naea para o fortalecimento institucional da nossa Universidade. O Naea foi uma das primeiras instituições a oferecer curso em pós-graduação, além de ser pioneira ao trazer a concepção de Núcleo de pesquisa,” ressaltou.

Conferência de Abertura –Logo após a mesa de abertura, foi dado inicio a Conferência “Desenvolvimento Sustentável na Amazônia”, proferida pelo cientista político e professor Elmar Altvater, da Universidade de Berlim. Ele iniciou fazendo uma contextualização da evolução do capitalismo a nível global apontando suas consequências em regiões com abundancia de matéria prima, tais como América Latina. Para o professor é neste contexto que a Amazônia se insere no cenário mundial, como espaço de exploração de recursos naturais. “A Amazônia sempre foi vista como a terra de muitos recursos naturais, lugar da biodiversidade, território onde estão as matérias primas que alimentação indústrias mundo a fora”, explica.

No entanto, segundo o professor, a globalização, que a partir da Segunda Guerra mundial trouxe maior integração econômica, política, social e cultural entre as nações, fez com que os países mais desenvolvidos buscassem cada vez mais estratégias de conseguir novos mercados para expandir suas economias. Uma destas estratégias seria o neoextrativismo, que tem sido utilizada como á alguns anos na Amazônia como meios de se atingir a sustentabilidade.

Para Elmar Altvater, no entanto, falar em sustentabilidade na região ainda é cair na armadilha da dos recursos primários, que é o do subdesenvolvimento e da dependência, já que ainda há uma balança comercial desfavorável a regiões periféricas como a Amazônia. A alternativa seria admitir os limites do crescimento capitalismo. “E isso só é possível num mundo pós-fóssil, onde haja maior regulação dos mercados globais e quando formas de uma economia mais solidária emergirem”, acrescenta.

Lançamentos-Ao final da Conferência houve ainda uma sessão de autógrafos e lançamentos de livros produzidos por e organizado por professores do Naea e em parceria com professores de outras instituições. Entre os lançamentos estão: "Migração Interna na Pan Amazônia" e “Amazônia conhecer para desenvolver e conservar: cinco temas para um debate", organizados por Luis E. Aragón; "Desenvolvimento e Sustentabilidade", organizado por Oriana Almeida, Silvio Lima Figueiredo e Saint-Clair Trindade Júnior;  "O Fetiche do Emprego" de Manoel de Jesus de Sousa,  "Turismo em Foco", organizado por Francisco Fransualdo Azevedo,Silvio Lima Figueiredo, Wilker Ricardo Nóbrega e Cristiano Henrique Maranhão; e “Os Caminhos da Regulação da Água no Brasil: Demiurgia Institucional ou criação burocrática”, de Nívea Ravena.  

CCDC/NAEA/UFPA

Endereço: Av. Perimetral, Número 1 - Guamá, Belém - PA, Brasil Código Postal: 66075-750 55(91) 3201-7231